26.10.11

Sistema de alfabetização no Brasil não é satisfatório

Especialistas da Academia Brasileira de Ciências afirmam que professores não têm técnica para ensinar

aprender - Apocalipse Em Tempo RealOs estudantes brasileiros têm dificuldades de aprender a ler e escrever porque o País usa métodos de alfabetização superados. Esta é uma das principais conclusões do Grupo de Trabalho  sobre Educação Infantil, criado pela Academia Brasileira de Ciências, que reuniu por cinco anos estudos internacionais e nacionais. O relatório do grupo será lançado hoje durante seminário na Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio.

“A maioria das faculdades brasileiras não ensina ao futuro professor como ele vai alfabetizar um aluno. Ele não sabe a técnica. No fim, cada professor alfabetiza da maneira que acha melhor. O governo não tem uma diretriz nem determina, por exemplo, quando um estudante deve estar alfabetizado. Fica tudo a cargo de uma dita autonomia do professor e do tempo de cada aluno”, afirma João Batista Oliveira, coautor do estudo transformado em livro.
O educador cita um estudo realizado com 350 mil alunos de 7 mil escolas que tiveram notas na média e abaixo da média na Prova Brasil, avaliação do Inep, órgão do Ministério da Educação, que analisa o ensino no País.

“No teste que fizemos, os estudantes tinham que escrever uma palavra e uma frase ditadas e compor outra frase de acordo com uma figura. Entre os alunos do 2º ano do Ensino Fundamental, 90% não conseguiram fazer as três coisas. Entre os estudantes do 4º ano, 50% não conseguiram fazer a três coisas”, enumera João Batista.

Procurado, o Ministério da Educação disse que não tinha representante disponível para falar sobre o tema.

Cidade de Deus terá escola de Ensino Médio no ano que vem

A Cidade de Deus ganhará uma escola de Ensino Médio que, no ano que vem, oferecerá 500 vagas para a comunidade. A unidade funcionará no prédio da Fundação para a Infância e a Adolescência (FIA).

Para receber a escola, o prédio da FIA vai passar por reforma. A unidade terá 15 salas de aula, laboratórios de informática, química e física, e deve começar a funcionar no segundo semestre de 2012.

O anúncio foi feito ontem pelo secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves, na 2ª Reunião Comunitária da Cidade de Deus: “Atender a esta demanda faz parte do programa especial para a Juventude, (...) que será desenvolvido nas comunidades pacificadas e tem como foco jovens, de 15 a 29 anos, que já tiveram relação com o tráfico de drogas e estão fora da escola e do mercado de trabalho”.

Por: POR PÂMELA OLIVEIRA

2 comentários:

Sandra Regina disse...

"“A maioria das faculdades brasileiras não ensina ao futuro professor como ele vai alfabetizar um aluno . Ele não sabe a técnica. No fim, cada professor alfabetiza da maneira que acha melhor."

Uma verdade a qual estou vivendo. A teoria nos impulsiona a um desejo de sairmos da faculdade e ensinarmos de maneira a fazer a diferença na vida dessas crianças, porém, ao nos depararmos com a realidade do sistema educacional somos surpreendidos, pois a prática será completamente diferente. Não temos possibilidades reais de desenvolver a práxis do ensino nos estágios propostos durante o curso, ocasionando um problema que nos intimida diante da classe e prejudica o ensino do discente.
Brasil ainda tem muito o que mudar!

Anônimo disse...

Sem falar, que a família deixa para a escola uma obrigação que também é sua, que é educar.

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Maxwell Palheta | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons