1.6.11

Ser mãe. Um ato Divino

amor de mae - Apocalipse Em Tempo RealNos últimos anos tornou-se corriqueiro, o fato de as mídias noticiarem, quase cotidianamente um ato que tem muito me incomodado, é saber que mais uma mãe jogou fora seu “filho”, normalmente (um recém-nascido) na lata de lixo, num canteiro ou num rio. Porém, o que mais me indigna é o fato de essas “mães” sempre tentarem se justificar, dizendo que sã pobres e não terem condições de sustentá-los. Quantas mães pobres e desamparadas de seus companheiros, sobrevivem sozinhas? Logo, é injustificável tal atitude. Quantas mães criam ou criaram seus filhos à pão, água e amor e nunca os abandonaram?

Pergunto à todos os amigos leitores: O que será desta criança sabendo que fora rejeitada (jogada no lixo) por sua mãe?

Sabia que entregar um filho à adoção não é crime? Abandonar a própria sorte ou jogar no lixo, isso sim é crime! Tanto é crime que dá cadeia, porém, o maior crime é contra uma criança indefesa, que se sobreviver neste mundo cão, carregará pela resto de sua vida a dor da rejeição, e quem sabe se sentindo parte daquele lixo. O ato materno não é para todas, mas é uma vocação, é uma arte. Se a criança veio num momento indesejado, não precisa jogar no lixo, procure um juizado e entrega para adoção.

Com um detalhe, adotar não é uma atitude social, nem escolher um produto na prateleira do supermercado, exige efetivamente amor e um útero forte.

Maxwell Palheta

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Maxwell Palheta | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons